OS LIVROS CHAMADOS DEUTEROCANÔNICOS

OS LIVROS CHAMADOS DEUTEROCANÔNICOS OU APÓCRIFOS

 

Vários livros que não pertencem às Escrituras hebraicas foram colecionados junto a esses na Septuaginta, por serem leitura corrente embora, não integrassem os livros santos. Boa parte desse material, chamado apócrifo, foi incluído aos poucos nas Bíblias do catolicismo em formação, sendo neste caso, para os católicos, chamados de deuterocanônicos.

O judaísmo não os reconheceu como canônicos, não os incluindo nos Livros sagrados. Os protestantes de modo geral seguiram o cânon hebraico e não os incluem. Em reação a essa decisão o Concílio de Trento consolidou os deuterocanônicos nas coleções católicas.

Foram gradualmente admitidos no Concílio de Roma de 382 d.C., de Hipona em 393 d.C., no III Concílio de Cartago em 397, e foram consolidados como integrando as Escrituras para os católicos no Concílio de Trento, iniciado em 1546, em meio às disputas com o protestantismo em expansão no século XVI.

Entretanto, nem todos os livros acrescentados na Septuaginta foram adotados pelo catolicismo romano e são considerados apócrifos tanto por judeus quanto por católicos e protestantes. A igreja Ortodoxa tem outra configuração, acolhendo além dos deuterocanônicos católicos alguns outros considerados apócrifos por católicos e protestantes. Para ficar mais claro, segue a lista de livros deuterocanônicos, que não constam das escrituras judaico-cristãs por todos aceitas [1]:

São deuterocanônicos (apócrifos protestantes) os seguintes livros veterotestamentários:

Catolicismo Romano

  • Tobias.
  • Judite.
  • I Macabeus.
  • II Macabeus.
  • Sabedoria de Salomão.
  • Eclesiástico (também chamado Sirácida, Sirácide, ou Ben Sirá ).
  • Baruque.

Além destes, podemos também encontrar fragmentos deuterocanônicos dentro de livros protocanônicos, como:

  • Adições em Ester
  • Adições em Daniel, nomeadamente os episódios do Salmo de Azarias (Abed-Nego), da História de Susana, e de Bel e o dragão.

Catolicismo Ortodoxo e Ortodoxia Oriental

Na Igreja Católica Ortodoxa, e na Ortodoxia Oriental, além dos livros citados acima, também são incluídos os seguintes:

  • I Esdras, conhecido como III Esdras na tradução Vulgata da Bíblia.
  • II Esdras, conhecido como IV Esdras na tradução Vulgata da Bíblia. Também é nomeado como III Esdras na Igreja Ortodoxa Eslava, pois II Esdras é Esdras e Neemias juntos (como ainda são apresentados no Judaísmo rabínico e caraíta).
  • III Macabeus.
  • IV Macabeus.
  • Livro das Odes, uma coleção de cânticos e preces, dentre os quais destaca-se a Oração de Manassés.

 

Pintura na Sacristia da Igreja de São Salvador de Vilar de Frades (Barcelos), Portugal. Tobias, removendo as entranhas do peixe que o atacou, o seu cão e o anjo Rafael. Disponível em commons.wikimedia.org/wiki/File:Vilar_de_Frades_Sacristy.JPG acesso em 10 de abril de 2020.

 

NOTAS

[1] Disponível em pt.wikipedia.org/wiki/Livros_deuterocan%C3%B4nicos acesso em 10 de abril de 2020.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s